Skip to content

Bobby Hutcherson

Bobby

 

Esta semana se foi o genial Bobby Hutcherson. Vaiado em sua primeira apresentação na escola. Vítima de racismo. E gravou Out to Lunch com Eric Dolphy.

Música sempre esteve presente na vida dos Hutcherson. Dexter Gordon era colega de escola do irmão mais velho de Bobby e frequentava a casa da família em Pasadena (anos mais tarde Dexter convidaria Bobby para fazer um papel no filme Round Midnight).

Foi sua irmã Peggy quem o ajudou a entrar no ramo. Peggy começou cantando com Sonny Clark, namorou Eric Dolphy e Billy Mitchell (mulher exigente essa Peggy) e foi uma das Raelettes. Ela participa desta faixa:

Peggy conta que Ray Charles tinha o próprio avião e ela namorava o piloto. Peggy decidiu sair do grupo quando viu Ray Charles pilotando o avião de madrugada.

Bobby Hutcherson já tinha seu grupo em Pasadena quando Billy Mitchell em uma visita à casa da família convidou Bobby pra tocar. Billy Mitchell tinha um show agendado em São Francisco, estava sem pianista e perguntou se Bobby poderia usar quatro baquetas e fazer as partes do piano.

Parêntesis. De acordo com Gary Burton , há duas escolas de vibrafone. A de Milt Jackson, em que se usam duas baquetas e uma forma de abordar o instrumento como um instrumento de sopro. E há a própria escola de Gary Burton, com quatro baquetas e que aborda o vibrafone como um teclado. Bobby faz parte da primeira escola.

Bobby Hutcherson decidiu comprar um vibrafone quando tinha 12 anos e ouviu a gravação de Milt Jackson tocando Bemsha Swing ao passar por uma loja de discos. Comprou o instrumento com o próprio dinheiro que juntou trabalhando como pedreiro com o pai. Logo depois formou uma banda com seu colega de escola, o grande Herbie Lewis e começaram a tocar na garagem de casa.

Bobby mal havia começado a tocar seu instrumento quando por insistência de Herbie decidiram participar de uma competição de bandas na escola. A sugestão de Herbie foi escrever com um marcador no próprio vibrafone a sequência de notas de forma numerada. Sabem aquelas marimbas pra criança? Pois é. Aconteceu que alguém apagou os números e foi o caos. Bobby ainda teve que ouvir de seu pai “falei pra você ser pedreiro”.

Mas nem as vaias e o bullying na escola que veio depois desanimaram Bobby. Ele e Herbie começaram a estudar firme e logo aquela garagem em Pasadena ficou famosa. Por lá passaram Phineas Newborn, Charles Lloyd, Joe Gordon, Walter Benton. Ficou tão famosa que algumas pessoas não gostaram. Bobby Hutcherson tinha uma namorada branca, Beth Buford, que veio a ser sua primeira esposa. Integração racial nas escolas estava apenas começando. Atearam fogo na garagem, Bobby conseguiu salvar o caminhão do pai mas perdeu o vibrafone.

O que vem depois é a história de um músico brilhante e inovador:

http://www.allmusic.com/artist/bobby-hutcherson-mn0000081231/biography

Bobby Hutcherson também participou de dois filmes.

O primeiro foi o maravilhoso filme sobre a depressão de 29, They shoot horses, don’t they? (A Noite dos Desesperados), de Sydney Pollack, 1969. Ele faz o papel do condutor da orquestra.

O outro foi Round Midnight (Por Volta da Meia-Noite) de Bertrand Tavernier, 1986. Nessa cena ele oferece Jambalaya a Dexter Gordon e aparece tocando Now’s the Time de Charlie Parker.

Não gosto tanto deste filme, mas ele mereceria um post separado por conter tantas referências. Nessa cena por exemplo, Dexter Gordon chama Bobby de ‘lady’. ‘Lady’ era como Lester Young costumava chamar os amigos. ‘Buttercup’ era o apelido da esposa de Bud Powell em Paris. No bar Dexter Gordon chama o bartender de ‘half-a-mother-fucker’, que era como Lester Young se referia a Pee Wee Marquette, o anão e mestre de cerimônias do Birdland.

Os vídeos tive que subi-los no youtube, deixam a desejar mas é o que o tempo permite.

A foto lá em cima é Bobby Hutcherson em 1966 com Lee Morgan e foi tirada por Francis Wolff na sessão de ‘Mode for Joe’, de Joe Herderson. É a foto de uma foto de um livro meu e não tem por aí.